Com as tags

sinistro

comunicar sinistro

Qual o prazo para comunicar sinistro? Saiba mais aqui

Situações inesperadas relacionadas a acidentes de trânsito podem ocorrer com qualquer pessoa. E, apesar de serem comuns, acabam gerando contratempos para todos os envolvidos, mesmo quando há a cobertura de uma seguradora disponível, já que muitos segurados não sabem qual é o prazo para comunicar sinistro.

Para evitar erros nos procedimentos, que podem impactar na eficiência da seguradora em prestar o serviço, elaboramos este post para esclarecer as principais dúvidas que podem surgir nesse momento. Confira!

Como comunicar/acionar o sinistro para corretora?

O acionamento deve ser realizado por meio dos contatos disponibilizados pela empresa. No caso de colisão:

  • verifique se todos estão bem;
  • realize o boletim de ocorrência;
  • entre em contato com a seguradora, que dará todas as informações de como proceder para realizar o reparo do dano.

Nesse caso, se não for possível remover o veículo, é possível contar com o serviço de assistência 24 horas e usar o guincho, que será enviado pela seguradora.

Já nos casos de roubo ou furto:

  • comunique a situação para a polícia e registre o boletim de ocorrência;
  • avise a seguradora para que se inicie o processo de indenização e para receber todas as orientações necessárias.

Qual é o prazo para comunicar sinistro?

O recomendável é entrar em contato com a seguradora o mais rápido possível. Normalmente, o prazo nos casos de colisão para segurando e de até 1 ano contato a partir do sinistro, enquanto nos casos em que terceiros ou beneficiários devem receber a indenização é de 3 anos.

Por este motivo, é necessário conhecer sua apólice, já que nela estão escritos todos os prazos e regras para a cobertura. Na dúvida, entre em contato com a segurados para receber essa informação. Provavelmente, você terá um prazo razoável para fazer essa comunicação.

Quais cuidados são necessários ao comunicar o sinistro?

Entre os principais cuidados que devem ser tomados estão:

  • entenda a cobertura contratada por você, tendo em vista que a seguradora só poderá ajudar se o serviço necessário foi contratado;
  • no caso de batida, anote todos os dados necessários, como placa, cor e modelo dos automóveis envolvidos;
  • tire fotos, pois, assim fica mais fácil identificar os carros envolvidos e a posição deles depois da colisão;
  • mantenha sua CNH válida, já que a condução do veículo por pessoa devidamente habilitada é uma condição geral das seguradoras;
  • leve o carro para ser reparado em estabelecimentos credenciados e recomendados pela seguradora, já que ela será a responsável pelo serviço realizado.

Quais são os documentos solicitados nesse momento?

Cada segurado possui o seu procedimento interno para tratar dessas situações. Porém, alguns documentos são exigidos pela maioria das empresas. São eles:

  • boletim de ocorrência com o registro do sinistro;
  • cópia do RG;
  • cópia do CPF;
  • cópia do documento do carro;
  • Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV);
  • cópia da CNH.

Agora que você já sabe qual é o prazo para comunicar sinistro, não deixe de contratar uma seguradora especializada, da sua confiança e que esteja disponível para oferecer todas as orientações nesse momento, tornando mais fácil essa situação tão ruim para todos os envolvidos.

Quer contar com todo auxílio que uma seguradora pode oferecer? Entre em contato com a gente e veja como podemos ajudar!

Mulher sentada em uma mesa mexendo em um notebook.

Fique por dentro de como funciona a liquidação de sinistro

A liquidação de sinistro é um processo muito importante, tanto para o segurado quanto para a seguradora. Afinal, aqueles que contratam um serviço de proteção precisam ser amparados após o dano. E a seguradora, por sua vez, deve oferecer aos clientes as melhores soluções e o suporte necessário para minimizar os prejuízos sofridos.

O sucesso dessa liquidação requer alguns trâmites. Considerando o contrato firmado, e está associado às responsabilidades tanto do contratante quanto da contratada. Mas, afinal, você sabe quais são e como funcionam esses procedimentos? Descubra tudo o que você precisa neste artigo!

O que é a liquidação de sinistro?

Chamamos de “sinistro” qualquer acidente ou evento não previsto, causado por contingências externas, que é capaz de gerar algum tipo de prejuízo financeiro ao segurado. A liquidação de sinistro, então, é o processo necessário para o recebimento da garantia contratada (ou prêmio). Ao final dele, a seguradora paga ao cliente uma indenização de acordo com os valores e coberturas delimitadas no contrato.

Vale lembrar, porém, que o seguro não tem o de objetivo prover lucro ou melhorias ao objeto alvo da apólice: representa apenas o ressarcimento do bem segurado. O cálculo do valor possivelmente considerará a época de ocorrência do sinistro e a depreciação (vida útil, idade e uso) do objeto segurado. No caso de um seguro de vida, por exemplo, o total da indenização será baseada tanto no capital segurado quanto na tabela de cálculo da SUSEP.

Além disso, nem todo sinistro é passível de indenização. O pagamento só ocorre quando o dano é coberto pelo contrato e após um procedimento denominado “regulação de sinistro”.

Vidro quebrado.

Como a liquidação funciona?

Antes de concretizar a indenização, a seguradora verificará a causa e a extensão do dano. Bem como o custo do prejuízo e os termos nos quais o pagamento será realizado. Isso envolve uma série de responsabilidades que se iniciam na própria comunicação do sinistro.

O Código Civil, em seus artigos 206 e 771, indica questões relacionadas ao aviso de sinistro, à prescrição e à perda do direito à indenização. Cabe ressaltar também que a seguradora deve ser informada logo que o acidente ocorrer. Veja as etapas em que esse processo funciona:

  • aviso do sinistro à seguradora;
  • verificação dos danos — comprovação das perdas, circunstâncias do fato, causas e extensão do sinistro;
  • análise — exame do laudo de vistoria, da apólice e de outros documentos necessários;
  • finalização — pagamento ou negativa (com justificativa) de indenização com base nas outras etapas da liquidação de sinistro.

Geralmente, o não pagamento por parte da seguradora está relacionado a ações ilegais do segurado ou à ausência de previsão de cobertura do sinistro na apólice.

Qual é o papel da seguradora?

Assim que o sinistro é comunicado a seguradora deve dar início às atividades necessárias à liquidação. Bem como abreviar os processos para que o pagamento da indenização seja realizado. Respeitando-se, é claro, os períodos previstos pela legislação e pelo contrato.

Em suma a empresa ou a corretora de seguros deve oferecer ao segurado todas as informações técnicas e jurídicas. Sanar suas eventuais dúvidas e prestar o auxílio necessário ao desfecho adequado da ocorrência. Muitas vezes, os corretores também são responsáveis pela mediação de possíveis conflitos entre a empresa e o cliente.

Enfim, entender o funcionamento da liquidação de sinistro é mesmo muito importante. Afinal, somente ao conhecer os procedimentos é que o segurado consegue agir da melhor maneira para evitar dores de cabeça e a perda de direitos. Podendo se reorganizar após o acidente.

Agora que você já sabe como funciona o pagamento da indenização, confira também o que deve ser feito quando alguém colide com o seu veículo!

Imagens: empresária, vidro.

E-BOOK TUDO QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE O SEGURO EMPRESARIAL​

Ter um seguro empresarial é indispensável. Afinal, por meio dele é possível proteger o negócio de diversos riscos que podem prejudicar as finanças e destruir todo o trabalho investido na busca do sucesso da empresa.