Seguro rural: 5 principais dúvidas sobre essa modalidade

O seguro rural assegura a continuidade das atividades agrícolas

Contratar um seguro rural é essencial para o produtor agrícola, tendo em vista os diversos prejuízos que podem ser causados pelos fenômenos da natureza, como clima, pragas, entre outros, impactando nos preços e na rentabilidade desse setor.

É um recurso importante por se tratar de uma alternativa para tornar o serviço financeiramente estável e reduzir as perdas, já que possibilita a recuperação do valor investido nas lavouras.

Se você quer conhecer melhor os principais pontos a respeito do seguro rural e esclarecer suas dúvidas, continue lendo este texto!

1. Para que serve o seguro rural?

É uma maneira utilizada para proteger o investimento realizado na agricultura, assegurando o recebimento de uma indenização a título de prejuízos provocados por fatores da natureza, como variações de temperatura, chuvas em excesso etc.

Em alguns casos, também poderá cobrir a perda resultante da variação do preço do produto.

2. Quem pode contratar o seguro rural?

Esse tipo de seguro pode ser contratado por toda pessoa física ou jurídica que faça o cultivo ou produza tipos agraciados pelo Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural, conhecido como PSR.

3. Como fazer a contratação desse seguro?

Para fazer a contratação, o produtor deve entrar em contato com uma seguradora devidamente capacitada pelo Ministério da Agricultura no PSR.

Caso já tenha cobertura Proagro ou Proagro Mais para um cultivo, não poderá ser coberto pelo PSR na mesma extensão.

Além disso, o produtor rural não poderá ter nenhum registro de impedimento nos cadastros dos órgãos do governo federal, por exemplo, estar inadimplente com a União.

4. Como solicitar o seguro rural?

Para pedir o seguro rural, o produtor deve apresentar os documentos em dia de sua propriedade e a planta da área total.

É necessário também estar com todos os impostos e demais obrigações pagos. Isso será avaliado por meio do Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin).

Informações sobre outros seguros feitos pelo solicitante também são analisadas e fazem parte do critério de avaliação.

Caixa de madeira com verduras, frutas e legumes dentro.
Diversos prejuízos que podem ser causados pelos fenômenos da natureza.

5. Como funciona o pagamento da indenização?

O produtor deve avisar a seguradora quando a lavoura sofrer algum sinistro, que é o fato provocador da perda.

Contudo, esse contrato vai estabelecer um limite para definir a partir do quanto de prejuízo o seguro será acionado (faixa de cobertura), que funciona como se fosse a franquia de um outro tipo de seguro.

Depois da comunicação sobre o problema, um perito enviado pela seguradora realizará uma avaliação na lavoura para identificar o valor das perdas. Nesse caso, não poderá haver colheita até a liberação do perito.

Conforme a Superintendência de Seguros Privados (Susep), o prazo para receber a indenização é de, no máximo, 30 dias, contados a partir da efetivação de todos os requisitos por parte do solicitante, em concordância com a regra vigente e respeitado o que estiver estabelecido nos termos contratuais do seguro.

Conseguiu compreender a importância do seguro rural? Por meio dele, é possível assegurar a continuidade das atividades agrícolas e promover maior segurança no que tange à qualidade dos produtos e aos investimentos aplicados.

Gostou deste conteúdo? Então, aproveite para ler também o nosso texto que explica o que é fundo de estabilidade do seguro rural.

Imagens: Milharal, caixa de madeira.