Saiba como evitar o aumento de custos com plano de saúde coletivo

Todo mundo precisa ir ao médico em algum momento, seja para uma consulta de rotina, seja para iniciar um tratamento.

Pensando em manter todos mais seguros, muitas pessoas investem em um plano de saúde coletivo, para a família ou para a empresa. Apesar de ser mais barato do que contratar múltiplos planos individuais, ainda é importante tomar certos cuidados para que o custo não aumente muito.

Reajustes e aumento no número de dependentes sempre afetam o custo de manutenção dos planos coletivos. Contudo, é possível tomar certas atitudes para prevenir aumentos exorbitantes.

Para ajudar você com essa tarefa, trouxemos aqui quatro dicas que poderá seguir. Confira:

1. Pesquise planos com melhor relação custo-benefício

Esse é um ponto básico de qualquer contratação de um plano de saúde coletivo. Naturalmente, você quer ter o maior número possível de benefícios, tratamentos e consultas disponíveis diante do preço que está disposto a pagar, além de menor período de carência. Para encontrar esse plano, você deve pesquisar com cuidado.

Não considere apenas o custo imediato do serviço, mas também as suas implicações no longo prazo. Algumas empresas oferecem mais benefícios após algum tempo de assinatura, o que pode ser bem útil para quem pretende se comprometer com o plano durante vários anos.

2. Avalie a política de reajustes

Com o tempo, os dependentes do plano vão ficar mais velhos, o número de pessoas envolvidas pode aumentar ou o próprio plano pode ter o seu valor alterado diante da economia. Para isso serve a política de reajustes.

Essas mudanças são legalizadas, mas alguns planos coletivos podem gerar números nada agradáveis. Muitos desses reajustes acabam ficando bem acima da inflação, o que pode gerar custos altos demais para você. Então, antes de fechar o contrato, verifique se a empresa tem uma política de reajustes bem clara e adequada para os dois lados.

3. Busque conscientização e prevenção

Um plano de saúde coletivo não precisa trabalhar apenas com tratamentos. Muitos oferecem programas de educação e prevenção em saúde e bem-estar. Como resultado, os dependentes do plano podem utilizar melhor as suas consultas previstas, evitar doenças e adquirir mais qualidade de vida.

Esse tipo de serviço é especialmente útil para planos de saúde empresariais. Os colaboradores que ficam doentes com menos frequência perdem menos dias de trabalho. E, quando estão em melhores condições físicas, ganham mais desempenho e menos desgaste.

4. Verifique a escalabilidade do plano

Por fim, você deve considerar a possibilidade de que o número de dependentes influencie em algum ponto — na contratação de novos colaboradores ou na chegada de mais um membro da família, por exemplo.

Se o plano não tem uma margem mínima para cobrir mais pessoas ou se a mudança no número de dependentes gerar aumento de custo muito grande, isso pode se tornar um problema.

Com estas dicas, você já deve conseguir prevenir boa parte dos aumentos de custo para o seu plano de saúde coletivo.

Tem mais alguma dúvida sobre o tema? Então, deixe um comentário com a sua pergunta e logo responderemos.