Entenda por que investir em seguro de risco de engenharia

É notório que certos ambientes trazem mais perigo para a realização de determinadas atividades. Obras civis, montagens de estruturas e funcionamento de máquinas são algumas delas. Por isso é importante investir em seguro de risco de engenharia

Mas, já que o risco é inerente ao ofício, o que fazer para se resguardar? É nessa hora que surge a importância do seguro de risco de engenharia.

Tendo em mente, também, que o construtor trabalha com um orçamento predeterminado, é preciso evitar o surgimento de despesas extras. Além de resguardar a integridade dos seus colaboradores e a conservação dos equipamentos, esse tipo de seguro se mostra uma ferramenta essencial para garantir o bom andamento das ações.

Para mostrar um pouco mais sobre a importância dele, listamos uma série de dicas que explicam por que vale a pena investir nessa solução, incluindo o seu funcionamento e benefícios.

A essência do seguro de risco de engenharia

Diferentemente da responsabilidade civil em obras de engenharia, englobando sinistros acontecidos que geraram danos a terceiros, o seguro de risco abrange os danos à obra ou equipamentos utilizados nela.

A cobertura estende-se a questões básicas e outras adicionais, dependendo da necessidade de cada situação.

É importante frisar que esse tipo de medida não tem o intuito de eliminar a possibilidade de acidentes porque, conforme mencionado, isso é inerente à atividade. A essência básica dela é minimizar esses riscos e, assim, trazer mais segurança para todos os elementos envolvidos nesse conjunto.

O segurado tem a obrigação de informar toda e qualquer mudança que ocorra durante o andamento do projeto, especialmente para que a transparência possa vigorar durante o processo e evitar surpresas desagradáveis.

Modalidades existentes

Alguns dos tipos de cobertura mais populares nessa modalidade de seguros são: obras civis em construção (OCC), instalação e montagem (IM) e quebra de máquinas (QM).

O primeiro deles (OCC) traz proteção ao construtor ou responsável para acidentes capazes de gerar grandes estragos à obra. Essa cobertura também engloba equipamentos (máquinas utilizadas).

Uma pergunta bastante pertinente quando se refere a danos é em relação à manutenção do maquinário. Essa modalidade também pode abranger essa necessidade, porém é necessário contratar uma cobertura adicional para esse fim.

O segundo (IM) está ligado à cobertura de danos que podem causar grandes prejuízos à estrutura da obra (por isso o nome instalação e montagem).

O terceiro (QM) é essencialmente destinado a cobrir os estragos dos equipamentos utilizados para a realização da obra.

Garantia de maior produtividade

O seguro de risco de engenharia é uma excelente forma de gerar mais produtividade. Contudo, como um seguro pode influenciar em uma questão como essa? A resposta parte da premissa de que essa solução ajuda a criar uma estrutura mais sólida, o que gera mais segurança para a atuação dos profissionais.

Um gerenciamento de risco bem feito contribui para que as ações possam ser realizadas com maior eficiência. Não só na questão humana, mas também na esfera tecnológica. A partir disso, fica mais fácil atender à demanda proposta.

Diante disso, é perceptível que o seguro não é um custo, mas um investimento capaz de proporcionar esses benefícios e gerar mais tranquilidade no dia a dia.

E você? Já conhecia esse tipo de seguro? Contrataria para a sua obra? Deixe o seu comentário, pois a sua opinião é muito importante para nós!