Seguros agrícola e seguro rural – como proteger o seu plantio

Você sabe que existem diferenças entre seguro agrícola e seguro rural? Você que planta e trabalha no campo, investe diariamente seus recursos, tempo e dedicação na sua lavoura e na sua propriedade. Durante meses, todos os seus esforços se concentram no momento da colheita. Mas e se o clima se alterar de repente e todos os seus recursos forem perdidos? Você vai precisar de um seguro agrícola e um seguro rural. Saiba mais sobre as duas modalidades de seguro.

O seguro agrícola protege o seu plantio

Com o Seguro Agrícola seus negócios não dependem mais do bom tempo, das chuvas ou do sol. Se você é agricultor – tanto pessoa física quanto jurídica recebe indenizações dos prejuízos causados por diversos fenômenos da natureza.

Este seguro destina-se às culturas plantadas e conduzidas de acordo com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático publicado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento: Soja, Milho, safra de verão e de inverno, Cana de Açúcar, Algodão, Arroz irrigado, Trigo, Cevada, Café, Batata Inglesa, Sorgo e Cevada.

Quais são as coberturas do seguro agrícola?

Perda de produtividade da lavoura em decorrência de:

  • Chuvas excessivas
  • Incêndio
  • Queda de raio
  • Tromba d’água
  • Ventos fortes
  • Ventos frios
  • Granizo
  • Seca
  • Geada
  • Variações excessivas de temperatura

Fique atento pois os riscos provenientes de doenças, pragas e seca para as culturas irrigadas não estão cobertos por este seguro.

Quais são as vantagens do seguro agrícola

  • Produto sem franquia
  • Isenção de I.O.F. (Imposto sobre Operações Financeiras)
  • Inspeção sem custos para o agricultor
  • Operacionalização simplificada
  • Garantia do plantio até a colheita

O seguro rural deixa você tranquilo com relação ao clima

O seguro rural é um dos mais importantes instrumentos de política agrícola e fundamental para modernização tecnológica da agricultura, protege o produtor contra perdas causadas por fenômenos adversos da natureza até o limite máximo de indenização contratado.

Além da atividade agrícola, o seguro rural abrange também a atividade pecuária, o patrimônio do produtor rural, seus produtos, o crédito para comercializar a produção e o risco de morte dos produtores.

Ao contratá-lo, o produtor tem a possibilidade de recuperar o capital investido na sua lavoura ou empreendimento ante a perda da produção por conta de uma chuva mais forte ou de uma seca mais prolongada.

O prejuízo pode ser evitado ou, no mínimo, reduzido. O seguro rural é oferecido para o agronegócio em regiões economicamente viáveis, com base em estudos técnicos de condições de solo e de clima, sendo direcionado para grandes e médios agricultores.

Existe diferença entre seguro rural e seguro agrícola?

Na atividade agropecuária, é comum o uso equivocado da terminologia relacionada com o seguro. Não raro, agricultores confundem seguro rural privado com programas de governo, principalmente o Proagro, destinado a pequenos e médios agricultores familiares para pagamento do custeio agrícola em casos de ocorrência de fenômenos naturais adversos, pragas e doenças que atinjam bens, rebanhos e plantações.

De acordo com a classificação a Susep, a diferença básica entre seguro rural e seguro agrícola é a seguinte:

  • Rural – conjunto amplo de seguros dirigidos à agricultura e à pecuária;
  • Agrícola – subdivisão do ramo de seguro rural, direcionado a culturas permanentes e temporárias.

Qual é a estrutura do seguro rural?

Fundamentalmente, o seguro rural funciona da seguinte forma:

  • Seguradoras – beneficiárias da subvenção de governo, elas firmam contratos com os produtores rurais, ficando responsáveis por uma parte menor do risco, geralmente inferior a 10% do risco de perdas da produção.
  • Resseguradoras – assumem a maior parte do risco. Têm papel fundamental no desenvolvimento do seguro agrícola no Brasil, pois não temos dados históricos confiáveis sobre perdas no campo, além de transferirem know-how das suas operações para o mercado interno.
  • Governo federal – oferece o Programa de Subvenção do Prêmio do Seguro Rural (PSR), que paga parte do preço do seguro contratado pelos produtores nas seguradoras.