Como é calculado o valor da indenização dos bens segurados?

Sempre que um imprevisto acontece, você se preocupa em encontrar uma solução eficiente para o seu problema. Quando há um seguro, esses imprevistos não são mais motivos de dor de cabeça. Porém você sabe como é o cálculo do valor da indenização dos bens segurados?

Esse é um assunto que poucas pessoas dominam, mas é importante para entender se você está completamente protegido. Por isso, resolvemos mostrar a você como funciona a conta do pagamento dos bens segurados em caso de um sinistro. Quer saber mais? Continue com a leitura!

Conversa entre duas mulheres, uma está com um documento na mão.

Quais são as obrigações do segurado e da seguradora?

Quando ocorre o sinistro, o segurado não pode providenciar consertos nem reparos no bem até que a vistoria seja realizada — salvo as situações emergenciais, como danos elétricos ou arrombamentos. É dever do segurado proteger o bem sinistrado porque, após a indenização, ele ficará sob o poder da seguradora.

Além disso, o segurado deve apresentar uma relação dos prejuízos, com a discriminação de modelo, tipo, valor estimado e outras informações relevantes. Cabe à seguradora realizar o pagamento da indenização no prazo máximo de 30 dias após o sinistro.

É seu papel também orientar o cliente sobre os procedimentos que devem ser tomados, os documentos que precisam ser encaminhados e fazer o acompanhamento dos prejuízos. A seguradora deve manter contato com os reguladores e peritos do sinistro, auxiliando e esclarecendo dúvidas sobre o que o contrato cobre.

O que é e como funciona o cálculo de depreciação de bens segurados?

Depreciação significa que um bem, imóvel ou móvel, perdeu o seu valor devido ao seu estado de conservação, idade ou uso. Esse é um conceito trazido da contabilidade, mas que faz todo o sentido no cálculo da indenização, porque não é possível comparar dois objetos que sofrem com a ação do tempo.

Imagine que você comprou um celular de R$3 mil e utilizou o aparelho durante três anos. Se você optar por vendê-lo, será praticamente impossível conseguir o mesmo valor, já que novos modelos foram lançados e o preço de uma versão nova será mais vantajosa, ou seja, ele é desvalorizado.

Por isso, ao acionar o seguro, a seguradora deve fazer o cálculo de depreciação de bens segurados, que leva em consideração o VR (valor de risco) de cada bem. Ao apurar o valor da indenização, a seguradora deduzirá todas as depreciações do custo de reposição do objeto do sinistro.

Qual é a lei que prevê o cálculo da indenização de seguros?

A maior dúvida ao acionar o seguro é saber se a seguradora está certa em depreciar o bem no cálculo indenizatório. O artigo 781 do Código Civil menciona que a indenização não pode ultrapassar o valor do interesse do segurado no momento do sinistro.

Isso quer dizer que a seguradora deve efetuar o pagamento da indenização levando em consideração o valor médio de mercado do bem na data do sinistro. No caso dos automóveis, a Tabela Fipe é um indicador muito utilizado porque atualiza o valor dos modelos mensalmente e permite uma base de comparação.

Assim, é permitida a depreciação do bem, porque a legislação entende que, quando você o utiliza por três anos, por exemplo, ele não terá mais o mesmo valor de quando foi adquirido. Nesse caso, é preciso certificar que o segurado não tenha uma vantagem ilícita com a contratação do benefício.

Com a depreciação, a lei garante que o seguro não é um instrumento de enriquecimento, mas de reposição do bem segurado, da mesma forma que era no momento do sinistro. Ganha a empresa, que tem segurança jurídica, e os clientes honestos, que não sofrem com os aumentos oriundos de golpes.

Duas pessoas lendo sobre sobre a indenização dos bens segurados.

Quais os tipos de definição do valor da indenização dos bens segurados?

O modo como é feito o cálculo é definido no momento da contratação e consta na apólice. Como existe o fator da depreciação, as seguradoras precisam padronizar as regras para facilitar o pagamento ao cliente. Existem duas formas comuns para o reembolso, como você verá a seguir.

Valor de mercado referenciado

É o caso citado da Tabela Fipe para o seguro automotivo. Nessa modalidade, a indenização dos bens segurados segue um valor de referência, que é definido na apólice. A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas faz o cálculo do preço médio dos veículos no país, separados por modelos e colhidos todo mês.

Na contratação do seguro, a corretora informa qual a porcentagem que ela paga da tabela de referência — por exemplo, 100% da Tabela Fipe ou apenas 80%. Importante destacar que o valor utilizado é do mês em que ocorre o pagamento e não daquele em que ocorreu o sinistro.

Valor determinado na indenização dos bens segurados

Por outro lado, o seguro de valor determinado indica quanto está segurado no momento da contratação. No exemplo dos automóveis, essa é uma definição comum na proteção a terceiros, que têm o preço de cobertura delimitado (R$100 mil, por exemplo). O mesmo vale para os seguros de casa e de vida.

É provável que, para o acionamento do seguro, haja uma cláusula de valor mínimo. Danos abaixo desse corte são de responsabilidade do cliente. Vale lembrar do prazo de 30 dias para fazer o pagamento, então é importante levar em conta esse fator também.

Quais as dicas para contratar o seguro correto?

O seguro de bens específicos, como um automóvel, não tem grandes diferenças. O importante é buscar empresas consolidadas no mercado, em que você tenha garantia de que receberá um bom atendimento e o pagamento no prazo estipulado. Além disso, pagar o total da Tabela Fipe é um diferencial.

Para os seguros de valor determinado, a dica é calcular quanto será necessário para que você não tenha prejuízos na hora de comunicar o sinistro. Na sua residência, quanto você gastaria para comprar todos os móveis e aparelhos? Tenha essas informações em mente e escolha o valor que mais se aproxime da sua realidade.

Contar com um seguro em um momento difícil proporciona segurança e tranquilidade na hora de solucionar o problema, certo? Por isso, é importante que você entenda como funcionam todos os procedimentos na hora de acionar a sua seguradora, principalmente no que se refere ao valor da indenização de seguros, para que tenha o controle da situação.

Agora que você já sabe como funciona o cálculo para indenização de seguros, que tal repassar esse conhecimento para os seus amigos? Compartilhe o artigo nas suas redes sociais e esclareça essa dúvida comum na cabeça de quem contrata um seguro!

Imagens: Conversa, casal.