Categorias

Viagem

seguro com banco ou corretor

Qual a diferença entre fazer contratação de seguro com banco e corretor?

Todo mundo precisa garantir a segurança do próprio patrimônio, não é? Seja empresarial ou individual, é importante se manter protegido de uma variedade de riscos e imprevistos. Porém, será que você sabe qual é a diferença entre fazer a contratação de seguro por banco e por corretor?

É justamente sobre isso que vamos falar neste post, explicando quais são as principais diferenças, além da escolha mais adequada dependendo do seu perfil. O que acha de continuar com a gente ao longo da leitura?

Por que contratar um seguro?

Você já parou para pensar na importância de contratar um seguro? Ao fazer isso, a seguradora se torna responsável por cobrir e indenizar os prejuízos que você ou seu patrimônio possam ter em certas situações — que são chamadas de “sinistros”.

O que isso significa? Na prática, os sinistros são previstos nos contratos e variam de acordo com o plano de seguro que você aderir, entrando como possibilidades os acontecimentos que pertencem tanto às coberturas básicas, quanto às adicionais.

Se você olhar para sua rotina, certamente reparou como é comum acontecer imprevistos, não é? Isso passa por acidentes de carro, furtos, problemas com a empresa e por aí vai. O seguro serve justamente para ajudar nos momentos de desamparo.

Confira as diferenças de fazer seguro com o corretor e com o banco.

Quais são as principais diferenças entre fazer um seguro com o banco e com o corretor de seguros?

O principal ponto que você precisa ter em mente é que essas escolher servem a perfis diferentes. Os bancos e os corretores atendem a vários tipos de consumidores e é importante ficar de olho em que cada ponto pode ser benéfico.

Diversificação

Geralmente, um banco serve para quem não quer se preocupar em escolher serviços e quer resolver o problema o mais rápido possível. Costuma trabalhar em parceria com uma seguradora específica — oferecendo apenas os serviços dela.

Os corretores, por sua vez, permitem que você compare os preços de várias seguradoras diferentes, escolhendo exatamente o serviço que quer. Servem para consumidores mais seletivos, que gostam de maximizar as opções para escolha.

Conhecimento técnico

Conhecimento técnico é um ponto que costuma pesar a favor dos corretores. Isso porque os gerentes de bancos tradicionais não são especialistas em seguros — já que seu trabalho envolve muitas outras funções e atribuições.

Já os corretores, trabalham e se dedicam apenas a isso, ajudando a encontrar boas opções e planos que fazem sentido para você. Ainda assim, é importante pesquisar bem antes de fazer a escolha. Como em qualquer profissão, existem bons e maus profissionais. Por isso, busque por uma corretora de seguros com credibilidade no mercado.

Como você viu, a contratação de seguro com banco ou corretor varia de acordo com suas preferências. O ideal é escolher planos que cobrem os riscos que você mais se expõe, assim como os bens que mais valoriza.

Não se esqueça de ver a opinião de clientes antigos sobre a empresa — independentemente de ser corretora ou banco. Veja quesitos como tempo de indenização e cobertura de riscos.

O que acha de evitar riscos e garantir a segurança na hora de empreender? Então, não deixe de conferir o post em que contamos o que você precisa saber sobre seguros para empresas!

Casal correndo em uma rua.

Entenda como funciona o seguro de viagem e quando contratá-lo

O seguro viagem pode transformar seu passeio em uma experiência ainda mais segura e tranquila.

Portanto seja a lazer ou a negócios, viajar é sempre bom. Conhecer novos lugares, pessoas e culturas nos permite conquistar diferentes visões de mundo, além de uma importante bagagem de aprendizado. No entanto, contar com um seguro viagem pode transformar o passeio em uma experiência ainda mais segura e tranquila.

Além de funcionar como um plano de saúde temporário, o recurso garante indenização, reembolso ou prestação de serviços para diversos tipos de situações e ocorrências. Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura e entenda como funciona o seguro viagem.

Homem frustado com a batida de seu carro.

Perda total do carro: o que acontece quando se tem seguro?

Como proceder em relação à perda total do veículo quando se tem seguro? Inegavelmente, essa é uma dúvida que os proprietários de veículos devem esclarecer antes de fechar contrato com uma seguradora.

Essa medida evita problemas em ocasiões adversas e possibilita uma relação mais transparente e correta entre as partes envolvidas, o que é muito valorizado no segmento de seguros.

Pensando nisso, vamos explicar a seguir como se verifica a perda total, o que acontece com o automóvel após essa situação ser confirmada e como se dá o pagamento do seguro no caso de um carro financiado. Continue lendo e confira!

risco no transporte rodoviário

Entenda a importância do gerenciamento de risco no transporte rodoviário

O gerenciamento de risco nos transportes é essencial para as operações de qualquer empresa que dependa direta ou indiretamente de uma frota. Além disso, é pela via rodoviária que acontece a maior parte da movimentação de carga no Brasil.

Por outro lado, administrar a logística de um negócio é uma tarefa difícil. É preciso contratar transportadoras, controlar cargas, negociar valores de frete, entre outros. Além de tudo isso, ainda é necessário lidar com o baixo investimento público em infraestrutura.

A melhor resposta para esse cenário é adotar estratégias para coordenar os serviços de transportes, minimizando riscos de acidentes, cortando gastos desnecessários e otimizando investimentos.

Portanto, se você quer saber a importância do gerenciamento e análise de riscos para evitar os prejuízos e a ineficácia nos serviços — além de reclamações dos clientes ou ações judiciais — continue a leitura!

O que é gerenciamento de risco no transporte?

Trata-se de uma medida que visa planejar, estruturar e controlar o transporte de mercadorias, com a finalidade de reduzir os problemas que podem acontecer nessa movimentação. Entre suas vantagens, estão:

  • a redução dos prejuízos operacionais;
  • a prevenção de danos;
  • a diminuição dos custos;
  • o aumento da segurança;
  • a identificação e controle dos riscos, entre outros.

Os riscos a que o transporte rodoviário está sujeito no Brasil são, até certo ponto, invisíveis para os empreendedores, até que se confirmem pela primeira vez.

A qualidade das nossas estradas, falta de controle sobre a jornada de trabalho dos motoristas e os riscos de assalto no percurso são só alguns exemplos mais comuns que não devem ser ignorados.

É frequente que as empresas, principalmente aquelas que têm logística reduzida, contem com a sorte para ficarem imunes a esses problemas. No entanto, é preciso colocar na balança que, ao longo de anos de operação, com diversos caminhões nas estradas, as chances de que você passe por alguma dessas questões é muito grande.

Os custos do gerenciamento de risco em transportes, assim como outros detalhes do seu planejamento, devem considerar a economia gerada a longo prazo. Logo, os investimentos se pagam quando você evita gastos emergenciais em função de incidentes, ou pior, acidentes.

Quais são os problemas no transporte rodoviário de carga?

Abaixo, listamos apenas as ocorrências mais comuns que afetam a entrega de cargas rodoviárias no Brasil.

Elas são também as que mais geram prejuízos imediatos, mas você deve ter em mente que há uma série de acontecimentos menores e mais frequentes que, se somados, vão impactar a sua receita substancialmente.

Roubo de cargas

O número de ataque a cargas no Brasil, em 2019, passou dos 22 mil, levando a um prejuízo de mais de 2 bilhões de reais. Em casos como esses, o preço final dos produtos transportados é afetado, já que a maioria das cargas roubadas não é recuperada.

Antes de mais nada, a sua empresa deve buscar conhecer a idoneidade da transportadora contratada, e saber se o seguro que contratou é resistente ou burocrático no pagamento das indenizações, em casos de roubos.

Multas e apreensões

Devido à complexidade da legislação brasileira no que tange à regulamentação de transportes de cargas, muitos responsáveis pelas transportadoras não têm domínio e conhecimento sobre o assunto.

Isso aumenta as chances de os caminhões serem multados ou mercadorias apreendidas. Além disso, embora o treinamento dos condutores ajude na questão, sempre há o risco de multas ocasionadas por condução indevida do veículo.

Avarias e extravios

Se a mercadoria transportada não for entregue ou chegar avariada ao destino, o seu cliente se sentirá insatisfeito, culpará a sua empresa e você poderá perdê-lo para a concorrência.

Além disso, existem ações judiciais em que o juízo fixa indenizações altíssimas no caso de recebimento de mercadoria com danos ou da ausência de entrega devido a extravios que, diga-se de passagem, podem nem ser culpa sua.

O que deve ser feito para reduzir esses riscos?

O gerenciamento de riscos em transportes é, basicamente, um programa de prevenção que a sua empresa deve fazer para listar, examinar e compreender possíveis problemas que atrapalhem ou impeçam a operação.

Não se trata de um modelo pronto a ser seguido, já que cada organização tem suas especificidades. Os colaboradores que lidam diariamente com os riscos nas estradas são fundamentais para elaborar esse programa.

Você deve ouvi-los e discutir as etapas com eles, de modo a chegar em um modelo que, com baixo investimento, evite prejuízos enormes, tanto às pessoas, quanto ao patrimônio da sua empresa.

Abaixo, listamos algumas etapas que servem de base para essas discussões.

Faça um planejamento de rotas

Quando o gestor sabe dos riscos e faz um planejamento, tem mais segurança. Portanto, se existe uma carga para ser entregue em um certo local e diversas rotas possíveis, é essencial avaliar a que traz mais benefícios e expõe o transporte a riscos menores, e não apenas optar pelo caminho mais curto.

Essa ação preventiva, embora nem sempre reduza o tempo gasto na movimentação, diminui os riscos de roubos e acidentes e, muitas vezes, também o desgaste de componentes dos caminhões.

Faça um mapeamento das cargas

Ao realizar um mapeamento, você consegue reduzir os riscos de avarias, tendo em vista que cada entrega exige um tipo de embalagem adequada, veículos para o transporte e forma de armazenamento diferenciado.

Invista no treinamento dos motoristas

É muito importante ter profissionais atualizados, preparados, integrados e comprometidos com a cultura da empresa. Portanto, quando é feito um investimento em treinamento, os riscos de danos à pessoa e às cargas diminuem e a satisfação e produtividade dos colaboradores aumenta.

A instrução em técnicas de condução econômica ajuda a economizar combustível e evita o desgaste precoce de peças dos veículos, como embreagem e freios. A longo prazo, a economia é enorme.

Mantenha o seguro em dia

Em suma, o objetivo principal do gerenciamento de risco é preservar a vida dos motoristas. No entanto, mesmo com todas as técnicas de segurança, problemas podem acontecer.

Se for esse o caso, é fundamental que você tenha feito apólices de seguros. Esse tipo de prevenção ajuda a lidar com momentos delicados aos quais todas as empresas de transporte estão sujeitas, principalmente pela má qualidade das vias do nosso país.

Além disso, há outros seguros que você deve cogitar: o seguro viagem, do veículo, da carga e o seguro patrimônio são alguns bons exemplos. Um investimento a mais que garante previsibilidade, seja da entrega, seja da receita advinda dela.

Invista em tecnologia

A tecnologia se tornou uma grande aliada das empresas. No transporte de carga, sua implementação é importante por oferecer ferramentas inovadoras e modernas. Sendo assim, quando bem empregadas, podem tornar a atividade mais ágil, segura e efetiva.

Hoje, há complexos sistemas de geolocalização que mantêm a segurança dos caminhões, assim como dispositivos de telemetria, monitoramento de cargas e outros.

Vale ressaltar que não é só na segurança que esses dispositivos ajudam. Em alguns casos, eles medem o consumo de combustível pelo veículo, informando ao motorista a respeito e permitindo uma condução mais segura e econômica.

Enfim, conseguiu entender a importância do gerenciamento de risco no transporte de cargas? Então, coloque agora mesmo essas dicas em prática para garantir uma movimentação de qualidade.

E se quiser participar de uma discussão sobre os benefícios do gerenciamento de risco nos transportes, deixe uma mensagem abaixo. Saber a sua opinião e debater o assunto é muito importante para nós.

E-BOOK TUDO QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE O SEGURO EMPRESARIAL​

Ter um seguro empresarial é indispensável. Afinal, por meio dele é possível proteger o negócio de diversos riscos que podem prejudicar as finanças e destruir todo o trabalho investido na busca do sucesso da empresa.