3 dúvidas sobre seguro de vida que vamos esclarecer agora para você

As dúvidas sobre seguro de vida são frequentes e costumam gerar divergências entre os especialistas na área, os segurados e demais dependentes, a fim de não perder os direitos adquiridos.

No entanto, ler atentamente as cláusulas do contrato, analisar a situação envolvida e o histórico de desfechos em relação a esse problema. Além da consulta a um especialista, pode ajudar a sanar alguns questionamentos.

Quer esclarecer algumas dúvidas sobre seguro de vida? Então, fique conosco e leia atentamente este post!

Como funciona o seguro de vida?

O seguro de vida é um documento formalizado com as seguradoras, que prevê indenização para o segurado e seus beneficiários em caso de morte, mas pode incluir também coberturas opcionais de invalidez permanente ou parcial.

Frequentemente sua contratação é associada aos idosos, porém, os jovens são clientes em potencial. Principalmente porque ainda não acumularam patrimônio suficiente ou não têm uma família com dependentes.

O custo de seguro de vida leva em consideração fatores comportamentais e epidemiológicos. Nesse caso, indivíduos com diagnóstico de tabagismo e etilismo, além da idade avançada, terão um seguro mais elevado.

Medico escrevendo em sua prancheta.

Quais são as principais dúvidas?

Mesmo após a formalização do contrato, é possível requerer alterações ou reivindicar direitos diante das situações que ocorrem ao longo da vida. Acompanhe a seguir alguns questionamentos sobre o tema em questão!

1. Como é feito o cálculo do seguro de vida?

O valor resulta da análise do perfil do candidato e das coberturas solicitadas. No primeiro caso, englobam a faixa etária, o sexo e o estado de saúde dos indivíduos.

Assim, os jovens são os mais assediados para formalização do seguro e as mulheres também, devido à expectativa de vida maior.

Ressalta-se que muitas seguradoras realizam esse serviço para indivíduos a partir dos 16 anos e algumas estendem até os 80 anos de idade. Entretanto, a maioria opta por fechar contrato com pessoas de até 65 anos.

No segundo caso, além da cobertura básica contratada por morte, é possível incluir custos como invalidez por acidente, serviços de assistência como traslado, funeral etc.

2. Há indenização pelo diagnóstico de câncer?

O câncer atualmente é considerado uma doença crônica e, por isso, é passível de reverter os benefícios pagos pelas seguradoras. Além disso, muito se questiona se no momento da contratação ele já existia, denominando uma doença preexistente.

Teoricamente, a indenização pelo diagnóstico de câncer cobre 50% da cobertura de morte. Excetuando os tumores de pele e sempre observando o período de 60 dias de carência. Todavia, a jurisprudência é divergente em relação a esse porcentual, o que torna indispensável uma avaliação do caso individualmente.

3. Existe profissão recusada pelo seguro?

A seguradora pode recusar a formalização do contrato de indivíduos com profissões consideradas arriscadas. Porém, algumas aceitam esses segurados mediante cláusulas diferenciadas.

Em geral, os profissionais que podem sofrer recusa das seguradoras são: agente penitenciário, mergulhador, piloto automobilístico, trabalhador de plataformas petrolíferas, garimpeiros, aposentado por invalidez, entre outras.

Sanar as dúvidas sobre seguro de vida é fundamental para contratar o serviço adequado para cada indivíduo. Visto que isso ajuda no entendimento dos direitos, termos usados e quais as situações em que a indenização não será plenamente efetivada. O esclarecimento entre as partes é o passo fundamental para uma relação duradoura e de confiança.

E você, tirou suas dúvidas? Ainda precisa de orientações sobre seguro de vida? Então, entre em contato conosco!

Imagens: médico,